1991

Prefeitura Municipal de Barra dos Coqueiros

Pular para o conteúdo

Feriados Municipais

.

  • 24 de Junho - São João (Lei 579/2010)

    O Dia de São João é comemorado anualmente em 24 de junho.

    São João é conhecido como o "Santo Festeiro”, e nesse dia são realizadas muitas festas, conhecidas popularmente como Festas Juninas, comemorações marcadas por danças e pratos típicos.

    Alguns símbolos bastante conhecidos nas celebrações são a fogueira, o mastro, os fogos, a capelinha, a palha, o manjericão, entre outros.

    Existem duas possíveis explicações para a origem do termo Festa Junina: pelo fato das comemorações ocorreram durante o mês de junho e, segundo a outra teoria, seria uma homenagem direta a São João. No princípio, em alguns países da Europa, a festividade era chamada de Festa Joanina.

    Origem do Dia de São João

    O Dia de São João é celebrado em 24 de junho por ser a data tradicionalmente atribuída ao seu nascimento.

    São João é considerado o santo mais próximo de Cristo, pois além de ser seu parente de sangue, Jesus foi batizado por João nas margens do rio Jordão.

    A Festa Junina de São João

    O São João é uma das principais figuras das festas juninas. O Dia de São João também é marcado pela culinária, com várias comidas e doces típicos, como:

    rapaduras
    amendoim
    bolo de milho
    cocada
    curau
    canjica
    bolo de macaxeira / mandioca
    paçoca
    pé de moleque
    Existem outros pratos que variam de acordo com a região brasileira em que é celebrado o São João.

    Fonte: http://www.calendarr.com/brasil/dia-de-sao-joao/


  • 20 de Novembro - Consciência Negra

    O Dia da Consciência Negra é comemorado em 20 de novembro em todo o país. A data homenageia o Zumbi, um escravo que foi líder do Quilombo dos Palmares. Zumbi morreu em 20 de novembro de 1695.

    O objetivo do Dia da Consciência Negra é fazer uma reflexão sobre a importância do povo e da cultura africana, assim como o impacto que tiveram no desenvolvimento da identidade da cultura brasileira.

    A sociologia, a política, a religião e a gastronomia entre várias outras áreas foram profundamente influenciadas pela cultura negra. Este é um dia de comemorar e mostrar profundo apreço pela cultura afro-brasileira.



    Origem do Dia Nacional da Consciência Negra

    O Dia da Consciência Negra foi estabelecido pelo projeto Lei nº 10.639, no dia 9 de janeiro de 2003. No entanto, apenas em 2011 a presidente Dilma Roussef sancionou a Lei 12.519/2011 que cria a data, sem obrigatoriedade de feriado.

    No entanto, atualmente, o Dia Nacional da Consciência Negra é considerado feriado em mais de mil municípios

    História de Zumbi

    No período do Brasil colonial, Zumbi simbolizou a luta do negro contra a escravidão que sofriam os brasileiros de etnia negra. Zumbi morreu enquanto defendia a sua comunidade e lutava pelos direitos do seu povo.

    Os quilombos, liderados por Zumbi, formavam a resistência ao sistema escravocrata que vigorava, e eram os principais responsáveis pela preservação da cultura africana no Brasil.

    Zumbi lutou até a morte contra a escravidão, que só viria em 1888, com a abolição oficial da escravatura no Brasil, cerca de 193 anos após sua morte.



    Fonte: http://www.calendarr.com/brasil/dia-nacional-da-consciencia-negra/


  • 25 de Novembro - Emancipação Política da Cidade

    Histórico

    Barra dos Coqueiros Sergipe - SE

    Histórico
    Durante a segunda metade do século XVI, a costa sergipana era freqüentada pelos traficantes normandos do pau-brasil. Era a barra do rio Sergipe (barra do Cotinguiba, como então era chamado) o ponto preferido por êsses aventureiros. Portugal pôs fim à pirataria através da conquista das terras intermediárias. entre Bahia e Pernambuco, realizada por Cristóvão de Barros.
    Segundo alguns historiadores, o atual Município teria abrigado, nos primeiros anos de sua fundação, a sede do Govêrno da Capitania de Sergipe-del-Rei - São Cristóvão -, fundada por Cristóvão de Barros em 1589, na costa ocidental da ilha dos Coqueiros, à margem esquerda do rio Sergipe e próximo de sua foz, local que corresponde, hoje, ao da Cidade de Barra dos Coqueiros. Era, então, povoado ou, talvez, apenas cidadela.
    A 10 de maio de 1875, por fôrça da Resolução n.° 1028, a antiga Capela de Nossa Senhora dos Mares da Barra dos Coqueiros foi elevada à categoria de freguesia (nunca provida eclesiàsticamente). A Lei estadual n.° 525-A, de 25 de novembro de 1953, criou o Município, desmembrado do deAracaju, compreendendo apenas a ilha de Coqueiros. É constituído de um único distrito, que é têrmo da Comarca de Aracaju.
    A cidade de Barra dos Coqueiros fica à margem esquerda do rio Sergipe, bem defronte à cidade de Aracaju, da qual dista menos de um quilômetro. Altitude sôbre o nível marítimo: 5 metros. O clima do Município é úmido e quente. A temperatura média oscila entre 30 e 20° C. O período chuvoso estende-se de abril a junho. Localiza-se na zona fisiográfica do litoral do Estado de Sergipe.
    O Município estende-se em direção SE-NO, ao longo do litoral atlântico. Vários rios descrevem-lhe a fronteira com os Municípios vizinhos: o Sergipe (navegável), com o de Aracaju, a leste; o Pomonga e o canal do mesmo nome, na direção SE-NO, com o de Santo Amaro das Brotas; e o Japaratuba, ao norte, com o do mesmo nome. A superfície municipal é de 86 km².
    O Município liga-se por via fluvial com o de Aracaju (10 minutos) e Santo Amaro das Brotas (2 horas e 20 minutos). Por via mista, fluvial até Aracaju (10 minutos) e daí, por rodovia - BR-11, SE-2 e SE-4 - (2 horas e 40 minutos) ou ferrovia - VFF Leste Brasileiro - (3 horas), alcança-se o de Japaratuba.
    Em Barra dos Coqueiros havia, em 1960, 4 577 habitantes, segundo dados preliminares do último Censo Demográfico. A população urbana de 2 551 pessoas refere-se à cidade, única aglomeração dêste tipo existente. Foram contados 982 domicílios. Densidade demográfica: 53 habitantes por quilômetro quadrado.
    A abundância de peixes (atum e cavala, principalmente) e crustáceos, no litoral atlântico e nos rios, estimula a pesca, que é feita rotineiramente. O sal marinho constitui a única riqueza mineral, explorada por duas salinas situadas à margem do rio Pomonga. Em 1960, a pesca não colonizada, feita por 72 pescadores, rendeu 7,9 toneladas, no valor de meio milhão de cruzeiros.
    Formação Administrativa

    Gentílico: barra-coqueirense
    Distrito criado com a denominação de Barra dos Coqueiros, pela lei municipal nº 84, de 27-011903, subordinado ao município de Aracaju.
    Em divisão administrativa referente ao ano de 1911, o distrito figura no município de Aracaju.
    Assim permanecendo em divisão territorial datada de 1-VII-1950.
    Elevado à categoria de município com a denominação de Barra dos Coqueiros ex-povoado, pela lei estadual nº 525-A, de 25-11-1953, desmembrado de Aracaju. Sede no atual distrito de Barra dos Coqueiros ex-povoado. Constituído do distrito sede. Instalado em 31-01-1955.
    Em divisão territorial datada de 1-VII-1960, o município é constituído do distrito sede.
    Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2007.

    Fonte: http://www.cidades.ibge.gov.br/painel/historico.php?codmun=280060


  • 13 de Dezembro - Santa Luzia

    O Dia de Santa Luzia é comemorado anualmente em 13 de dezembro.

    Esta data é uma celebração religiosa do catolicismo em homenagem a “padroeira dos olhos e da visão”, para os católicos.

    Além de ser a padroeira da visão, Santa Luzia também é considerada a protetora dos oftalmologistas. Aliás, Santa Luzia, em latim, significa literalmente “santa portadora da Luz” ou “aquela que leva a luz”.

    A história de Santa Luzia (Luzia de Siracusa) conta que esta jovem italiana teria abdicado de toda a sua riqueza para ofertar aos pobres e sofreu perseguições por ser cristã. De acordo com a lenda, os olhos de Santa Luzia teriam sido arrancados antes de ser decapitada.

    Oração para Santa Luzia, a padroeira dos olhos

    "Ó, Santa Luzia, que preferistes deixar que os vossos olhos fossem vazados e arrancados antes de negar a fé e conspurcar vossa alma; e Deus, com um milagre extraordinário, vos devolveu outros dois olhos sãos e perfeitos para recompensar vossa virtude e vossa fé, e vos constituiu protetora contra as doenças dos olhos, eu recorro a vós para que protejais minhas vistas e cureis a doença dos meus olhos.

    Ó, Santa Luzia, conservai a luz dos meus olhos para que eu possa ver as belezas da criação. Conservai também os olhos de minha alma, a fé, pela qual posso conhecer o meu Deus, compreender os seus ensinamentos, reconhecer o seu amor para comigo e nunca errar o caminho que me conduzirá onde vós, Santa Luzia, vos encontrais, em companhia dos anjos e santuário.

    Santa Luzia, protegei meus olhos e conservai minha fé. Amém.

    Santa Luzia, rogai por nós!"

    Oração de Santa Luzia para crianças

    "Santa Luzia passou por aqui, seu cavalinho pastando capim.

    Sangue de Cristo pingou aqui. Amém"

    (Oração para quando entra um cisco ou farpa nos olhos da criança. Fazer a oração enquanto esfrega os olhos da criança com a ponta dos dedos).

    Origem do Dia de Santa Luzia

    Não se sabe ao certo porque o Dia de Santa Luzia (ou Santa Lúcia e mesmo Santa Luz) é celebrado atualmente no dia 13 de dezembro.

    No entanto, sabe-se que antes da reformulação do Calendário Gregoriano, a data era comemorada próximo do Solstício de Inverno (22 de Dezembro, no hemisfério norte).

    As festividades são de origem popular e tradicional, principalmente na Escandinávia. No Brasil e em Portugal, o culto a Santa Luzia também é bastante forte entre a comunidade católica.

    Os católicos acreditam que o Dia de Santa Luzia é celebrado doze dias antes do Natal como um sinal, para indicar a necessidade da preparação espiritual (iluminação espiritual) e purificação para o nascimento de Jesus Cristo.

    Fonte: http://www.calendarr.com/brasil/dia-de-santa-luzia/


  • Leis que estabelecem os feriados

    Lei Lei nº 04.1987.pdf

    Lei Lei nº 457.2007.pdf

    Lei Lei nº 579.2010.pdf

Parceiros

Empresa Sergipana de Tecnologia da Informação